20 sugestões de estratégias escolares para alunos com Déficit de Atenção ou TDAH

Tempo de leitura: 2 minutos

Uma aluno com Déficit de atenção ou TDAH,  também pode apresentar dificuldades de aprendizagem, déficits na sua capacidade de resposta, análise e síntese,  na sua organização espacial, memória, lateralidade, percepção visual e auditiva, etc. Cientes de que estas áreas influem no desempenho na leitura e da escrita, se faz necessário adotar algumas estrategias em sala de aula para que este aluno obtenha o interesse em participar das ações escolares e consequentemente seja motivado a estudar.

Selecionei 20 sugestões de estratégias escolares que podem colaborar com o trabalho do educador, favorecendo o desenvolvimento das crianças com déficit de atenção ou TDAH.

  1. Dar instruções tanto orais como escritas.
  2. As rotinas de trabalho devem ser claras. Devem ser evitadas, na medida do possível, variações imprevistas.
  3. Sentá-la próximo da professora ou de algum colega que possa ser visto como um líder positivo.
  4. Não é conveniente fazer atividades com limites de tempo. Isto pode favorecer condutas impulsivas.
  5. Permitir um tempo extra para completar seus trabalhos.
  6. Encurtar períodos de trabalho de modo a coincidirem com seus períodos de atenção.
  7. Dividir os trabalhos que lhes sejam dados em partes menores de modo que elas possam completá-los
  8.  Entregar os trabalhos um de cada vez.
  9. Reduzir a quantidade de deveres de casa.
  10. Estabelecer sinais secretos entre a criança e o professor para poder fazê-lo notar quando está começando a se distrair.
  11. É necessário dar a ela regras consistentes sobre o que deve fazer; as instruções devem ser parceladas. Em alguns casos é conveniente enumerar as instruções para que seja mais fácil para elas segui-las.
  12. Aconselha-se supervisão nos recreios e horários livres.
  13. Orientar a atenção da criança que tem Déficit de atenção para a tarefa que será iniciada. É importante ajuda-la a descobrir e selecionar a informação mais importante, organizá-la e sistematizá-la.
  14. Incrementar a imediata correlação entre prêmios e consequências.
  15. Quando não se comporta adequadamente na sala de aula, recomenda-se que se dê um tempo para meditar sobre o que fez.
  16. Tentar evitar críticas e “sermões”. É preferível chamar-lhe a atenção de uma forma prudente e calma quando ela não tiver se comportando corretamente.
  17. Reforçar seu comportamento positivo com cumprimentos, reconhecimentos, etc.
  18. Firmar um “contrato de comportamento positivo” com ela, incluindo aquelas condutas que estão ao seu alcance.
  19.  Motiva-la quando consegue reprimir um impulso, por exemplo, na sala de aula, quando consegue levantar a mão para responder ao invés de responder impulsivamente.
  20. É de suma importância que os ambientes de trabalho sejam motivadores, com tarefas que sejam significativas para elas. Deve-se atrair o seu interesse e apresentar a ela tarefas que sejam desafiantes. Existia a crença que seria conveniente que crianças com Déficit de atenção ou TDAH estivessem em ambientes de trabalhos com poucos estímulos porque tudo lhes chamava a atenção; no entanto, agora se sabe que é importante proporcionar-lhes uma estimulação adequada, num ambiente que seja estimulante para estas crianças.

Sobre Sabrina Castilhos

Sou Sabrina Castilhos da Silva Branco, Educadora apaixonada por gente e pela sala de aula, que é um espaço que me surpreende, encanta, desafia, ensina e me possibilita exercer a arte de Educar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.